Jacques-Louis David, a essência do neoclassicismo

Se existe um pintor que representa como nenhum outro a essência do neoclassicismo francês, Jacques-Louis David. Sua grande fonte de inspiração foi a Antiguidade Greco-Romana e deixou inúmeras obras sublimes. Saberemos mais sobre a vida e obra deste artista.

Quem foi Jacques-Louis David

Ele nasceu em Paris em 1748, em uma família rica. Quando criança, ele ficou órfão de pai e sua mãe o deixou encarregado de dois tios, que eram arquitetos. Mas, apesar disso, ele nunca quis seguir seus passos. Ele não era um bom aluno e logo mostrou que tinha um presente: a pintura.

«O arrebatamento dos sabinos»

Depois de superar a resistência de sua família, entrou na oficina de François Boucher, para depois frequentar a Academia Real de Pintura e Escultura. Mas seu objetivo era conseguir uma bolsa de estudos na Academia Francesa de Roma, ele a conseguiu na quinta tentativa e depois de estrelar uma greve de fome em protesto contra rejeições.

Foi na Itália onde ele absorveu as influências que marcariam seu estilo: as grandes obras-primas e as ruínas do antigo Império Romano. David ficaria encantado com o trabalho de Rafael e, principalmente, com a majestade da cidade de Pompéia.

Anos depois, Jacques-Louis David retornou à França, onde continuou a prosperar. O artista apoiaria idéias revolucionárias e ele trabalharia em sua propaganda. Depois desse tempo, ele foi preso, mas ressurgiu com a chegada de Napoleão, que o tornou um pintor oficial. A volta dos Bourbons significou seu exílio em Bruxelas, onde ele morreria em 1825.

Jacques-Louis David e suas obras mais famosas

As obras desse gênio precoce que ninguém poderia imitar são quase incontáveis, pois seus detalhes e perfeição eram incomparáveis. Alguns deles marcaram sua carreira de maneira prestigiosa. Vamos destacar apenas quatro das grandes obras de Jacques-Louis David.

O Juramento dos Horatii

Este foi um dos primeiros trabalhos que ele realizou, além de ser um dos que contribuíram para sua decolagem como artista. De fato, isso o levou a se tornar o pintor mais importante do momento no mundo.

A imagem é uma alegoria de lealdade ao Estado sobre qualquer outra questão. Três irmãos fazem um juramento, enquanto várias mulheres que choram ao redor mostram desolação e tristeza diante da batalha e da morte.

Morte de Sócrates

Este quadro reflete a aceitação da morte pelo filósofo. De fato, enquanto alguns dos personagens ao seu redor choram ou cobrem o rosto com tristeza, Sócrates parece quase indiferente. Lembre-se de que o filósofo foi condenado a morrer bebendo cicuta por, supostamente, corromper a juventude ateniense.

O posicionamento excepcional das figuras que protagonizam a pintura e os efeitos da luz tornam a cena totalmente realista.

«Se o trabalho é ruim, o gosto do público logo faz justiça. E o autor, colhendo glória ou fortuna, aprenderá com a experiência difícil como corrigir seus erros.

-Jacques-Louis David-

Napoleão atravessando os Alpes

Como dissemos, Jacques-Louis David foi um dos artistas da corte de Napoleão. O gênio pintou duas obras do imperador que se tornaram famosas: Napoleão atravessando os Alpes e Coroação de Napoleão.

Esta tabela mostra o poder e a coragem de Napoleão a cavalo, sempre pronto para lutar as batalhas mais difíceis. No terreno, há uma inscrição que se refere a Carlo Magno e implica que Napoleão era o herói da França na época.

Coroação de Napoleão

Neste trabalho, os personagens mais ilustres da época são retratados, como o papa ou o bispo de Paris. Uma obra que ensina um claro contraste entre as atitudes do público em geral e a frieza dos eclesiásticos. Foi considerado o melhor trabalho de arte de fusão entre o barroco e o modernismo.

Como você vê, Jacques-Louis David estabeleceu um precedente com suas obras e sua maneira de ver a arte. É sem dúvida um personagem que vale a pena seguir a trilha em algumas de nossas viagens. Você se atreve a fazê-lo?

Loading...